Twitter

CUT AL > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > CARTA ABERTA À SOCIEDADE

Carta aberta à sociedade

18/09/2012

Em defesa dos direitos e da dignidade dos jornalistas de O Jornal

Escrito por:

Carta Aberta à Sociedade

Em defesa dos direitos e da dignidade dos jornalistas de O Jornal


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas, representando seus filiados, vem a público manifestar indignação com a situação por que passam os profissionais que trabalham nas empresas do Sistema Jornal de Comunicação – O Jornal, mais.al e Rádio Jornal – que estão há mais de dois meses com seus salários atrasados e sem perspectiva de que a situação seja resolvida. Por vários momentos, a categoria aceitou negociar prazos com a direção para que o problema fosse solucionado, mas as promessas da empresa não foram cumpridas, a não ser com parcelamentos de salários vencidos que só prolongaram e ampliaram o impasse.

Os jornalistas dessas empresas, de responsabilidade do deputado federal e empresário João Lyra, começam a enfrentar sérias dificuldades financeiras devido ao descaso do "Sistema". Essa é uma situação tenebrosa, afinal são dezenas de trabalhadores com os débitos pessoais aumentando a cada dia, gerando o pagamento de juros, empréstimos com bancos, risco de corte na energia de suas residências, além da dificuldade de se locomover até o próprio trabalho. Tudo por conta do constante atraso de salários.

Isso sem falar na falta de pagamento dos planos de saúde desses trabalhadores, mesmo com descontos nos salários: são meses de atraso, por parte da empresa, o que pode pôr em risco a vida dos funcionários do “sistema” e, até, de seus familiares que figuram como dependentes. Durante este período, muitos trabalhadores foram constrangidos sendo barrados em exames e consultas. É como se os funcionários de O Jornal, do site mais.al e da Rádio Jornal estivessem proibidos de adoecer.

Como se não bastassem os prejuízos diretos e imediatos, os funcionários também enfrentam uma situação de incerteza quanto ao futuro, haja vista o não recolhimento por parte da empresa das obrigações sociais, a exemplo do FGTS e do INSS.

Receber o salário pelo trabalho exercido arduamente, semana após semana, correndo os riscos inerentes à profissão, é um direito básico de todos os trabalhadores. E essa garantia está sendo negada aos jornalistas profissionais que trabalham nas redações das empresas de um deputado federal que sempre vendeu a imagem do trabalho digno como uma de suas bandeiras pessoais. Uma contradição que não pode ser ignorada.

Contra esse cenário nefasto para a imprensa alagoana, o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Alagoas manifesta publicamente o seu repúdio, reafirmando sua posição em defesa dos direitos de seus filiados e de todos os trabalhadores, ao mesmo tempo em que apela aos órgãos e autoridades competentes para que adotem as providências cabíveis.

 

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DE ALAGOAS - SINDJORNAL

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE ALAGOAS
Rua General Hermes, 380 | Cambona | CEP 57017-200| Maceió | AL
Fone: (55 82) 3221.6794 - (55 82) 3336.8786| www.cut-al.org.br | e-mail: cutalagoas@gmail.com